sábado, 20 de junho de 2009

DESPEDAÇADO


POR QUE ME ILUDO POR UM AMOR QUE NÃO SINTO?
ESSA DOR,TRISTE VAZIO NO PEITO
SOLIDÃO EXTASIADA, MOMENTOS DE COMPAIXÃO
CORAÇÃO PULSANDO FRACO,MAL SENTIDO ANGUSTIA
A MAGOA DE ESTAR SUFOCADO
INCAPAZ DE DESLUMBRAR QUALQUER PERDÃO
IMEDIATAMENTE SINTO QUE NÃO NASCI AQUI
ESTOU LONGE DEMAIS PRA VIVER O QUE POSSO SENTIR
SUPLICO A AUSÊNCIA DE DESPEDAÇAR NO LABIRINTO
SOMBRIO, FRIO
TRISTEZA SEM VOLTA
MEU SENTIDO ESTA PERDIDO
IMAGINEI SEM FLORES,NEM VINHOS
EMBRIAGADA DE EQUÍVOCOS
PARTIREI AO DESTINO
SENSORIAL FRAGMENTOS
PASSADO,
TÃO LONGE DO VENTO
ME ILUDO E AINDA NÃO VIVI
PEDAÇOS DESFEITOS
ARREPIOS DO SILENCIO
TÃO LONGE LOGO
ENFRAQUECI;
ESPALHADOS PELO CHÃO
PEDAÇOS DE MIM.
ANJO.
GOTEJANDO SANGUE
BRASA
LIVREMENTE TRISTE
TRISTE AQUI
MIL HORAS PASSADAS E O TEMPO ACABA
ACABA EM SI
DISTORCIDO DE TI
ILUSÃO GRADATIVA
PARADA NA AGUA
JUSTIFICADO ESMERO
QUE SABERÁ O QUE PERDI.