quarta-feira, 15 de julho de 2015

Decisões

Houvesse atendido minhas palavras hoje  estaria  em caminhos complicados, portanto  calei-me diante  a vida.
Entreposto  fica a  vontade  alheia,  em ver  que o que pensamos esta distorcido  do que  esperamos.
Configurado  estado de  espirito,  almejar  a tranquilidade é iludir-se na tempestade.
Comparando  flagelo ainda busco  e atendo ao meu instinto básico.
Pensar  em mim  apenas disfarça o que  preciso  encontrar.
Caminhos  e  sempre  caminhos, não  podemos ir para jornada passada  nos  resta  seguir  em  frente.
Com ou  sem  sentido  apesar  dos  esforços  não podemos  refazer  os passos.
Vagando  estamos  onde  iremos não é  revelado.
Se pudêssemos  saber  onde  e  por  quanto  tempo iriamos,  talvez a realização não  fosse  satisfatória.
Ouvimos  a  melodia  então nos  resta ficar  e  então  consolidar  os  emblemas  que não descobrimos,  estão  ocultos.
Veremos  ate  onde  iremos  ou não  quem  pode  saber  de  fato.
Apenas  estamos  vagueando  neste hemisfério,  entre  galaxias  perdidas  e  entre  as  flores  e  velas  de nosso tumulo.
Abnegada é  a  resposta que  cativa  o que não enxergamos  .
Como  estará  o que  ainda  não  sabemos.
Seremos revelados por  esferas  contidas  em  suma  de  toda  a  estrada.
Queremos  sempre  algo  e  o que  sucede caso não queiramos  mais, ou  deixamos  de  saber?
Meias verdades  sucumbimos  pela  falta  da outra  metade
desconversamos  os  sentimentos, escondemos  o coração e nos  abalamos  por  pequenos  erros.
Serão  verdade inteiras ou  coragem  que  nos  falta; pois  vemos  alem  do que  esta  exposto?
Creio que  nem um outro seja  totalmente suficiente, precisamos  do todo.
Não sei mais  deslizar  nesses oblíquos não acalmo  minha percepção,  ficaria  apenas  divagando  sem  fim, ate  não houver  mais o que  dizer.
Decisões  firmadas precisam  ser  seguidas  e  obedecidas, é  tudo que  sabemos.